O desprezo do prefeito à imprensa local só será percebido nos escombros do tempo - Correio da Lavoura

Últimas notícias

24 de nov. de 2018

O desprezo do prefeito à imprensa local só será percebido nos escombros do tempo



*Almeida dos Santos

Desde quando iniciou a gestão do prefeito Rogerio Lisboa (DEM), esperava-se que a relação com a imprensa, em especial a local, seria mais próxima que as administrações anteriores. E alguns aspectos levavam a este pensamento. O primeiro deles é que quando vereador, principalmente quando atuava ativamente em um grupo de oposição ao então prefeito Bornier, Rogerio Lisboa costumeiramente procurava a imprensa para as suas denúncias. A Imprensa local era uma espécie de aliada indispensável e muito do crescimento de Lisboa no cenário político se deu graças a essa relação. Mas, o que dizer do atual comportamento do prefeito com os veículos de comunicação local? Pelo comportamento nesses três anos da administração, o que se pode dizer é que há um imenso desprezo dele aos veículos e, mais ainda, aos profissionais da região.
Há muitos anos que Rogerio Lisboa conta com uma assessora de imprensa renomada. Trata-se da Mônica Ramos, proprietária da empresa Roda Viva Comunicação e ex-colunista do jornal O Dia, onde assinava a coluna “Informe do Dia”. Mônica é quem de fato trata da política de comunicação da Prefeitura de Nova Iguaçu, e isso não é segredo para nenhum jornalista. Não sei se há contrato para tal ou quem sabe essa assessoria tem sido realizada como uma espécie de “brinde” ao prefeito. Mas existe. Tanto existe que a Mônica já chegou ao ponto de comprar brigas com repórteres locais em grupos de WhatsApp, o que não desceu na goela de muitos ainda.
Mas, representando a Mônica Ramos está aí a Márcia Martins, ela que exerce a função de coordenar institucionalmente. Ou seja: se Mônica Ramos opera no campo político eleitoral, tratando especificamente da imagem do prefeito, a Márcia Martins cuida do dia-a-dia da Prefeitura. Mesmo assim essa distância entre o prefeito e a imprensa local acontece há três anos de gestão, o que se torna um paradoxo quando observada a existência dessas duas figuras ilustres que visitam Nova Iguaçu a serviço.
É possível antecipar que o penúltimo e o último ano da relação do prefeito com a imprensa local tende a azedar. E se existe algum plano de se reeleger ou indicar um sucessor vai ser pior ainda. Rogerio Lisboa está tão cego que quando abrir os olhos vai poder assistir o seu mundo desmoronar. Com direito a manchete de jornais locais que pautam a grande imprensa.

*Almeida dos Santos é jornalista.