CATI DE NOVA IGUAÇU É AMPLIADA E SERÁ INAUGURADA NESTA SEXTA-FEIRA - Correio da Lavoura

Últimas notícias

28 de nov. de 2019

CATI DE NOVA IGUAÇU É AMPLIADA E SERÁ INAUGURADA NESTA SEXTA-FEIRA


Com a ampliação de dez para 33 vagas, a Casa de Acolhida para a Terceira Idade Dourados Laranjais (CATI), será reinaugurada nesta sexta-feira (29), às 11h, pela Prefeitura de Nova Iguaçu. O espaço, que foi reformado e atende idosos em situação de vulnerabilidade social, abandono, vítimas de violência e que estejam sobre medida protetiva, continua localizado na Rua Sá Rego, s/nº, no bairro Caioaba.

No momento, 15 idosos residem no local, que vai ganhar 30 vagas permanentes e outras três de pernoites (quando o idoso fica apenas por um tempo em situação emergencial, sem residir no espaço). O CATI passa de dois para seis quartos com camas individuais, dois banheiros masculinos e outros dois femininos, uma dispensa para armazenar alimentos. Os idosos serão separados por alas.

“Ampliamos o local com novos quartos, sala, teremos um refeitório, espaço para exercícios, um jardim com pomar e quintal amplo, além de um galinheiro, que acaba aproximando os idosos dos animais, humanizando mais o ambiente”, comentou a superintendente de Proteção Social Especial da Secretaria Municipal de Assistência Social, Samantha da Silva Nazareth. “Fornecemos um local mais aconchegante para idosos em situação de vulnerabilidade e com medida protetiva. Com a reforma do CATI, eles sentem mais acolhidos”.


O CATI oferece atendimento com psicólogo, assistente social e cuidador de idoso, além de atividades educativas e lúdicas. Durante a reinauguração do novo espaço, haverá apresentação do coral do Espaço Municipal da Terceira Idade (Esmuti).

“Essa reinauguração traz a ampliação do primeiro equipamento público de longa permanência para idosos de Nova Iguaçu. Além de atender à Tipificação dos Serviços Socioassistenciais, o CATI, sempre trabalhando na perspectiva da reinserção social, vai acolher e dar dignidade a idosos sem vínculo familiar, que vivem em situação de abandono e não têm condições de prover a própria subsistência", garantiu a secretária de Assistência Social, Elaine Medeiros.

Desde dezembro de 2018 morando no CATI, o pernambucano Dorgival Florentino Rodrigues de Oliveira, de 61 anos, elogiou as novas instalações e já adiantou que vai cuidar diariamente do jardim e do galinheiro.


“O local ficou mais bonito e está com pintura nova. Estou me sentindo mais em casa com esse jardim e ainda vou aprender a criar galinhas. Ter contato com animais humaniza o atendimento e nos aproxima mais de nossa casa. Ainda faz bem para nossa saúde”, afirmou Dorgival, que estava em situação de rua até que foi acolhido pelo CATI, onde manifestou desejo de voltar a estudar.

Segundo assistentes sociais do espaço, Dorgival trabalhava como pedreiro até ter problemas na coluna e não conseguir mais se sustentar financeiramente.

Fundada em dezembro de 2015, a CATI recebe idosos encaminhados pelo Ministério Público ou diretamente por equipamentos da Secretaria Municipal de Assistência Social (SEMAS), como o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) e o Centro de Referência Especial para Pessoa em Situação de Rua (Centro Pop).