PALÁCIO GUANABARA VOLTA A REALIZAR VISITAS GUIADAS - Correio da Lavoura

Últimas notícias

22 de mai. de 2019

PALÁCIO GUANABARA VOLTA A REALIZAR VISITAS GUIADAS

No roteiro da visitação estão: fachada, Salão Nobre, Salão Verde, Salão Pé de Moleque, Jardim interno, Jardim de Inverno, jardins do Palácio e Capela Santa Teresinha
O Palácio Guanabara, sede do Governo do Rio de Janeiro, vai reabrir suas portas para visitas da população neste sábado (25), às 10h. O projeto, que desde o mês de março era exclusivo para alunos de escolas públicas estaduais, passará a receber todos os interessados em conhecerem um pouco mais da história e beleza do local.

– Começamos as visitas guiadas pelo setor de educação e agora estamos ampliando esta proposta para os turistas. O governador sempre diz que o palácio não é dele, é do povo. Estamos apenas colocando em prática essa premissa – afirmou o secretário da Casa Civil e Governança, José Luís Zamith.

No roteiro da visitação estão: fachada, Salão Nobre, Salão Verde, Salão Pé de Moleque, Jardim interno, Jardim de Inverno, jardins do Palácio e Capela Santa Teresinha. O circuito tem duração de uma hora.

Além da retomada das visitas guiadas, as portas do Palácio Guanabara também estão abertas uma vez por mês aos finais de semana para eventos artísticos e culturais nos jardins, com a participação da comunidade. O próximo será no dia 15 de junho.

Para se inscrever para as visitações e eventos culturais, basta enviar um e-mail para visitaguiada@casacivil.rj.gov.br.

O projeto Palácio Guanabara de Portas Abertas é um projeto da Secretaria da Casa Civil e Governança.

Construção e história

Construído em 1853, em estilo neoclássico, o Palácio foi, durante o Império, a residência da princesa Isabel, herdeira da Coroa, e seu marido, o Conde D’Eu. O Palácio Guanabara era então conhecido como Paço Isabel.

Em 1890, a construção foi declarada patrimônio nacional e recebeu seu nome atual, Palácio Guanabara. No decorrer dos anos, foi moradia oficial de presidentes da República, como Marechal Hermes da Fonseca, Getúlio Vargas e Eurico Gaspar Dutra, último a viver no palacete, na década de 40. A partir de 1946, o palácio passou a abrigar a Prefeitura do Distrito Federal até a criação do Estado da Guanabara, em 1960. Desde então, a construção se tornou sede do Governo do Estado e recebeu governadores.

Atualmente, a construção mantém características centenárias que conferem beleza especial ao local. No caso do jardim, o desenho foi idealizado pelo paisagista francês Paul Villon, no começo do século 20, e se mantém intacto até hoje. No local, está o chafariz de Netuno, pequeno lago com a estátua do deus da mitologia romana que foi desenvolvida pela Fundição Val d’Osne, mais importante fundação do século 19, localizada na França. O jardim também é adornado por alamedas de palmeiras imperiais e árvores frutíferas exóticas, como mangueira, caqui-preto, pêssego-da-Índia e olho-de-dragão.