Universidade Rural apresenta primeira defesa de mestrado - Correio da Lavoura

Últimas notícias

20 de mar de 2019

Universidade Rural apresenta primeira defesa de mestrado

Da esquerda para direita vemos Raquel Alvitos Pereira (professora e orientadora), Tatiane Oliveira de Assumpção Cordeiro (mestre), Mario de Souza Chagas (UNIRIO), Claudio Antonio Santos Lima (UFRRJ), Uhelinton Fonseca Viana (UFF) e Otair Fernandes de Oliveira (coordenador do Programa de Pós-Graduação em Patrimônio, Cultura, e Sociedade (PPGPACS-UFRRJ)

Momentos de comemorações e dever cumprido nessa etapa da primeira apresentação de defesa de dissertação de mestrado foi realizado no dia 25 de fevereiro, às 9h, no auditório de pós-graduação do Instituto Multidisciplinar da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ-Nova Iguaçu) pela disciplina “Patrimônio, Cultura e Sociedade”. O tema apresentado: “Seu Lugar é no Museu” A atuação do museu vivo do São Bento na construção de sentidos sobre o patrimônio da Baixada Fluminense. A mestranda Tatiane Oliveira de Assumpção Cordeiro foi orientada pela Profa. Dra. Raquel Alvitos Pereira. Participou da banca examinadora o Prof. Dr. Claudio Antonio Santos Lima (UFRRJ), Prof. Dr. Mario de Souza Chagas (UNIRIO) e o Prof. Dr. Uhelinton Fonseca Viana (UFF). Segundo Tatiane, é muito importante desenvolvermos a ideia de que o lugar de todos nós é também no museu. “Eu retirei essa frase de que o lugar é no museu de um jogo chamado ‘League of Legends-Lol’ onde o personagem, ao longo da partida, diz ao seu inimigo essa frase por acreditar que ele está antigo e capacitado no jogo, então isso faz alusão aos museus como lugares e coisas mortas e antigas. Então a uso no título do meu trabalho dessa dissertação no sentido de ressignificar e valorar e o papel que os museus podem ter. Eu retomo a frase e a inscrevo numa perspectiva mais propositiva e até mesmo provocativa buscando recuperar o sentido dinâmico que os museus podem ter hoje. Já que eles abrigam experiência e cultura viva. Eu acho que é isso que ela acrescenta no trabalho. Nessa dissertação, por eu estudar o museu vivo de São Bento, que é uma instituição expoente na Baixada Fluminense, compreendo que esse museu é um lugar para ser apropriado ao patrimônio cultural da história e da memória da Baixada Fluminense, para o desenvolvimento local e também é um espaço a ser apropriado e utilizado a serviço da justiça social e da dignidade humana. Então é por isso que o nosso lugar é, sim, no museu. Então essa frase traz todo esse sentido e acrescenta essa perspectiva mais ampliada de museu e de patrimônio no trabalho”, disse Tatiane Oliveira de Assumpção Cordeiro (mestre).
Segundo Otair Fernandes de Oliveira, coordenador do Programa de Pós-Graduação em Patrimônio, Cultura, e Sociedade (PPGPACS-UFRRJ) está à frente do programa e hoje na coordenação marca o encerramento de um ciclo que iniciou em 2013. “Pra nós que estamos à frente do programa e hoje na coordenação esta defesa marca o encerramento de um ciclo que foi iniciado em 2013, com um grupo de professores do Núcleo de Patrimônio, Arquitetura e Memória Fluminense (NUPAM) e que desenvolveram a ideia de criar o programa de Pós-Graduação stricto sensu Núcleo de Patrimônio, Arquitetura e Memória Fluminense. Em Patrimônio, Cultura e Sociedade na Rural de Nova Iguaçu. É motivo de muito orgulho a primeira dissertação defendida do (PPGPACS) sobre o museu Vivo de São Bento. Parabéns à mestre Tatiane e sua orientadora Raquel pelo belo trabalho que sem dúvida serve de estímulo para esse novo ciclo que se inicia de produção de conhecimento no campo do patrimônio cultural na região da Baixada. É uma honra participar desse momento em que estamos coroando a primeira turma a se formar do curso de mestrado em Patrimônio,Cultura e Sociedade, de 2017/2019”, comentou Otair Fernandes de Oliveira.
Segundo a orientadora Raquel Alvitos Pereira, é o dever do papel cumprido. “Fico muito feliz por ter cumprido meu papel social como servidora pública de uma universidade federal que tem um campo de expansão no município de Nova Iguaçu e por ser a primeira orientadora. Acho que o trabalho da Tatiane tem o mérito de atingir esse sentido maior de conhecimento, que é ter uma dimensão acadêmica sem deixar de lado essa dimensão social para a Baixada Fluminense”, concluiu a Profa. e Dra.  Raquel Alvitos Pereira.