Trocando em Miúdos - Correio da Lavoura

Últimas notícias

20 de mar de 2019

Trocando em Miúdos

Por Almeida dos Santos

O centenário de um garoto
No próximo dia 22, o Correio da Lavoura completa 102 anos de atividades ininterruptas. Um dos orgulhos que tenho na vida, é que desde a década de 90, com alguns períodos de afastamento, figuro na lista de colaboradores deste valente semanário. Aqui que comecei a minha caminhada no jornalismo e não poderia deixar passar em branco uma data que não só faz parte do jornal, mas também da minha vida.

Pelos braços do professor
Foi pelos braços do professor, poeta, cronista, trovador e sambista, Sérgio Fonseca, que cheguei ao Correio da Lavoura, quando a redação era fixada à Rua Luiza Lambert, 91, no centro de Nova Iguaçu. E depois de um bate-papo com Sérgio Fonseca e Robinson Belém de Azeredo, esse que é o editor-chefe do jornal, em um bar chamado de Chega Mais, é que fui me chegando mais para ser mascote em uma turma que incluía, entre tantos, o saudoso Arthur Cantalice e o badalável colunista Irio, o Informal.

Gratidão ao Lavoura!
Tudo o que aprendi no jornalismo e da forma em que fui trabalhado, agradeço ao Correio da Lavoura por ter sido a primeira e grande escola pela qual dei os meus primeiros passos nesta trajetória no jornalismo. Muito obrigado por tudo, meu querido e valente Correio da Lavoura!

Fica, Ferreirinha!
Apesar de ter anunciado no início de fevereiro que o vice-prefeito Carlos Ferreira, o Ferreirinha, deixaria o PCdoB, parece que o mesmo ainda não saiu da legenda. O moço continua ligado ao partido. Membros da direção deverão ter um tête-à-tête com ele para evitar a sua saída. Vamos aguardar para ver se o moço vai desfazer as malas.

Menos um
O deputado estadual Anderson da Margareth, que estava cotado para ser um dos possíveis nomes do PSL na disputa pela sucessão municipal, parece que não será mais. Em um encontro que tive com o rapaz esta semana na Alerj, ele confidenciou que não será o candidato do partido. Então, tá!

Um a mais
Não se surpreendam se o ex-prefeito de Queimados e hoje deputado estadual Max Lemos (MDB) realmente se tornar figura fácil nas ruas da cidade. Como disse aqui, o moço quer mesmo ser candidato a prefeito em Nova Iguaçu. Esta semana encontrei com ele na ALERJ e ele reafirmou que será candidato. Como a eleição é de torcidas, tem gente que vai torcer para que venha, enquanto muitos vão torcer o pescoço.

Triangulando
Rogerio Lisboa (DEM), Dr. Luizinho (PP) e Juninho do Pneu (DEM), formam o bloco triangular do grupo situacionista governamental. Pelo que vejo, se Lisboa for realmente o candidato, os outros dois recuam. Mas se Lisboa não for candidato, isso vai dar quiproquó. É só esperar para ver. Juninho, que tem sido apontado como um sucessor natural, não gosta de tocar no assunto. Prefere falar do seu mandato. Luizinho é mais saidinho e diz que é candidato de qualquer forma, mas particularmente acho que recusa se Lisboa avançar.