NÚCLEO PARA ATENDER VÍTIMAS DE INTOLERÂNCIA RELIGIOSA EM NOVA IGUAÇU INICIA ATIVIDADES - Correio da Lavoura

Últimas notícias

19 de fev. de 2020

NÚCLEO PARA ATENDER VÍTIMAS DE INTOLERÂNCIA RELIGIOSA EM NOVA IGUAÇU INICIA ATIVIDADES

Além de oferecer assistência social, jurídica e psicológica a quem 
sofre violação, Navir realizará ações de prevenção e combate


Com uma cerimônia ecumênica, reunindo representantes de religiões cristãs e de matriz africana, foram abertas em Nova Iguaçu, na última segunda-feira (17), as atividades do Núcleo de Atendimento a Vítimas de Intolerância Religiosa (Navir). O serviço foi criado pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos (SEDSODH), para oferecer assistência social, jurídica e psicológica a quem sofre atos de violência por causa da sua religião, além de atuar em ações de prevenção e combate a casos de intolerância. 

Com apoio da Prefeitura de Nova Iguaçu, o Navir funcionará de segunda a sexta-feira, das 9 às 17 horas, na Rua Terezinha Pinto 297, 3° andar, Centro de Nova Iguaçu. Thiago Miranda, subsecretário estadual de Promoção, Defesa e Garantia de Direitos Humanos da SEDSODH, explicou como irá funcionar o equipamento.

“O Navir vai atender não só a população de Nova Iguaçu, mas de toda a Baixada Fluminense. Teremos advogado, psicólogo e assistente social para os casos que surgirem. Este núcleo é o primeiro, mas pretendemos abrir vários outros pelo Estado do Rio”, declarou Thiago Miranda, que representou a secretária Fernanda Titonel. 


Entre os representantes de religiões de matriz africana estava o tata Roberto Braga, responsável pelo terreiro de candomblé Lumyjacarê Junçara, que falou sobre a importância do Núcleo. “Hoje é um dia memorável para nossa luta. Muitos locais religiosos foram violados em Nova Iguaçu. A existência desse lugar, onde podemos buscar nossos direitos, vai exigir muito a ação de novas agressões”, explicou. 

Também presente na cerimônia, o ex-bispo da Diocese de Nova Iguaçu, Dom Luciano Bergamin, destacou a importância da tolerância entre as religiões. “Jesus falou: ‘Vós sois todos irmãos’. Não devemos agir contra ou falar mal de religiões diferentes da nossa ou dos que não têm religião. Devemos tratar os praticantes de outras religiões da mesma forma com que queremos ser tratados”, declarou. 

Coordenador de Promoção da Liberdade Religiosa da SEDSODH, Márcio Righetti (Pai Márcio de Jagun) também enfatizou a relevância da iniciativa: “O lançamento deste Núcleo representa a sensibilidade do governo do estado e da prefeitura e esta causa, contribuindo com ações afirmativas para a redução desses casos de intolerância”.

Estavam presentes também a subsecretaria estadual Raquel Borges (Articulação Política e Acompanhamento dos Municípios), a secretária de Assistência Social de Nova Iguaçu, Elaine Medeiros; o pastor Jorge Luiz, da Igreja Sinais e Maravilhas; a mãe de santo Arlene de Katendê, e Eric Couto Rodrigues, da Igreja Adventista do Sétimo Dia. 

CASOS EM 2019

De acordo com a Superintendência de Igualdade Racial e Diversidade Religiosa, ligada à SEDSODH, cerca de 200 templos religiosos - a maioria de matriz africana - correm risco de ataques na Baixada Fluminense. Em 2019, houve 132 casos de violações atendidos/verificados no Estado do Rio de Janeiro e destes, 15 ocorreram em Nova Iguaçu. 

A maior parte dos ataques (102) é direcionada às religiões de matriz africana. Foram registradas duas violações ao espiritismo. Religiões como catolicismo e protestantismo e rituais religiosos ligados a wicca (bruxaria) e ecumenismo (busca de uma prática universalista) receberam, cada uma, um registro de violação. Em 23 casos a religião não foi declarada pelas vítimas.

OUTRAS INICIATIVAS

“Além de acompanhar de perto esses casos e auxiliar no seu encaminhamento junto à Polícia Civil, a SEDSODH tem prestado atendimento às vítimas de intolerância religiosa, com orientação jurídica, assistência social e encaminhamento à rede de atendimento”, explicou a secretária da SEDSODH, Fernanda Titonel.

Por iniciativa da Coordenadoria, foi elaborado o Projeto de Lei 4146/2018 que propõe a criação do Plano de Assistência às Vítimas de Intolerância Religiosa, atualmente em trâmite na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

SERVIÇO

Navir - Núcleo de Atendimento às Vítimas de Intolerância Religiosa. Funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 9 às 17h. Rua Terezinha Pinto 297, 3° andar - Centro - Nova Iguaçu/RJ.