TROCANDO EM MIÚDOS - Correio da Lavoura

Últimas notícias

23 de set de 2019

TROCANDO EM MIÚDOS

Por Almeida dos Santos

Avenida sem lei
A Av. Nilo Peçanha, uma das principais vias do centro de Nova Iguaçu, virou um território sem lei. Ou melhor: sem fiscalização. Carros ficam estacionados nos dois lados da via, o que causa o estreitamento dela. Parece que a desordem é ignorada para benefício dos lojistas. Cadeirantes e idosos são os que pagam pela desordem.

Paraíso do barulho
Algumas lojas do Calçadão de Nova Iguaçu promovem uma poluição sonora estridente. Parecem até que gozam da liberdade da Prefeitura de ocuparem espaços debaixo das marquises e promoverem a baderna. Essa semana o que pensei ser uma banca de camelô, por estar tão afastada da entrada da loja era, na verdade, uma banca de loja em pleno Calçadão. Não acredito que isso mude… O moço pensa em reeleição.

O tempo urge
Parece mesmo que está decidido que o número de vereadores na próxima legislatura será mesmo 11 parlamentares. É que se não mudar até o dia 5 de outubro, um ano antes da eleição, será muito difícil mudar depois. Mesmo com os boatos de que poderá ir para 23.

Prejudica os partidos
Se permanecer o número de 11 vereadores para a próxima legislatura, as nominatas terão que ser adequadas ao número de cadeiras existentes na Câmara. Isso diminui o número de candidatos, o que faz as legendas partidárias terem mais pretendentes que candidatos.

Peregrinação
O vice-prefeito Carlos Ferreira, o Ferreirinha, continua sem partido. Essa semana ele foi visto conversando com um membro da executiva nacional do PDT. Mas parece que a publicação foi uma provocação ao Max Lemos, ele que deve vir candidato a prefeito pelo PDT. Ferreirinha, que tanto pregou ideologia partidária quando estava no PT, e depois passando pelo PCdoB, agora procura um partido para encontrar uma… partidária.

Por falar em Ferreirinha...
Ele, Rogerio Lisboa e Lindbergh Farias, indiretamente, perderam no PED do PT que escolheu a Profa. Marli de Freitas como a nova presidente da legenda. E se isso não revela, ao menos indica que o PT é o local menos apropriado para a volta do Ferreirinha ao partido.

Só par esclarecer
Foi o Ferreirinha que decidiu sair do PCdoB, assim como também foi ele quem decidiu sair do PT quando esteve filiado lá. O problema é que não é ele quem decide para entrar em um outro partido. E sim a direção. Ele pode escolher, mas a direção é que dá ou não o aceite.

No sentido oposto
A vitória do Rogerio Lisboa veio de um conjunto de fatores, é claro. Acertos na campanha que ele fez e erros da administração municipal anterior, como o caótico trânsito iguaçuano à época. Mas agora com viaduto duplicado, coisas e lousas festejadas por ele, qual é a razão do trânsito ser tão ruim na cidade iguaçuana? Se for candidato, acho que as falas dele serão usadas contra ele na campanha. Tudo o que ele criticou sobre o trânsito terá que ouvir de volta.