ALUNOS MELHORAM DE RENDIMENTO COM PROJETO EM ESCOLA MUNICIPAL - Correio da Lavoura

Últimas notícias

23 de ago. de 2019

ALUNOS MELHORAM DE RENDIMENTO COM PROJETO EM ESCOLA MUNICIPAL

Alunos da Escola Municipal Albertino Lopes, no bairro Parque São José, periferia de Belford Roxo, ganharam duas horas a mais na carga horária escolar. Ao invés de irem para casa eles podem escolher e participar de seis cursos criados pela direção como culinária, artesanato, informática, canto (coral), dança e banda marcial. O projeto “Construindo o Futuro” viralizou rapidamente na escola, ganhou adesão total dos estudantes e a simpatia do pais e responsáveis. “Isso é uma benção. Agora meu neto não fica mais à toa, sem ter o que fazer em casa. Ele está adorando e eu mais ainda”, disse a dona de casa Vera Lúcia Souza de Oliveira, 58, avó de Richard de Oliveira da Silva, 9, matriculado no curso de canto.

A iniciativa partiu da diretora da escola, a professora Dayse Maria dos Santos Mariano Fonseca. Preocupada com o crescimento da violência envolvendo jovens, ela reuniu professores e funcionários da escola e apresentou seu projeto. “Percebi que as crianças do turno da manhã saíam da escola iam para casa e ficavam ociosas. O mesmo acontecia com aqueles que estudam no horário da tarde, que não faziam nada na parte da manhã. Tive logo o apoio de todos os educadores, em especial o professor Leandro Machado. Logo consegui formar um time com funcionários de apoio e inspetores e assim os ursos foram surgindo”, contou Dayse que é formada em pedagogia e matemática.

RENDIMENTO NOTA 10Segundo Dayse, o projeto tem apenas quatro meses, mas o suficiente para mudar o comportamento dos alunos. “O rendimento deles melhorou muito, desde o comportamento ao aprendizado”, assegura ela. A diretora disse que há alunos que já participaram de um curso e ingressaram em outro. “Tenho recebido muito pedidos de mães para que as crianças menores também participem dos cursos. Inicialmente, apenas alunos do terceiro, quarto e quinto ano participam. Estamos, entretanto, vendo a possibilidade de abrir também para os alunos do primeiro segmento”, explicou.

Richard de Oliveira, neto de dona Vera, é um dos alunos assíduo aos cursos. Ele que faz aula de canto, já esteve na turma de culinária. “Ah é muito bom. Já sei cantar Asa Branca e aprendi a fazer quibe e omelete de queijo com presunto”, declarou o menino. A turma de canto é uma das mais concorridas, tem 35 alunos. As aulas são dadas pelos inspetores Alef e Elias de Lima. “Curto muito esta aula e também a de dança”, afirmou o menino Kaio Luciano Rodrigues Viana, 10. A banda, comandada pelo maestro, Olício Duarte, já conta por 60 alunos e recebe convites para exibições extras.

INTEGRAÇÃO E OPORTUNIDADE - Falante, ativa, a diretora que tem 26 anos de magistério, não para no gabinete da escola que funciona em dois turnos e atende 509 alunos, de quatro a 13 anos de idade, do primeiro segmento ao quinto ano. Ela conhece cada aluno e identifica funcionários por nome e sobrenome. “Fico emocionada em ver que o projeto está agradando e contribuindo para o futuro dessa garotada. As duas horinhas que eles ficam a mais na escola, se integram mais e somam conhecimentos para futuras oportunidades”, acredita Dayse.

As aulas de artesanato são realizadas pela funcionária administrativa, Joice Pereira, que ensina 27 alunas. Leandro Lucas, 28, é auxiliar de serviços gerais na escola. Mas é ele que comanda as aulas de informática. Formado na área, ele faz questão de preparar bem a sua turma de 36 alunos. “Eles aprendem o básico de informática, a montar computador e coisas a mais como formular um currículo e se relacionar bem com os colegas”, destaca. “Não perco uma aula”, garante a aluna Samara Ferreira, 11, que não tem computador em casa. O único que ensina e não faz parte do quadro de funcionários da escola, é Yuri Cardoso, 19 anos, que voluntariamente dá aulas de dança para 20 alunos. “O projeto é muito legal e fiz questão de abraçar”, disse. A culinária também está no cardápio de cursos. Quem comanda é Alina Percino. As receitas mexem com toda a escola. As crianças aprendem, preparam e comem. hambúrgueres e quibes são os preferidos.

Foto:  Cláudio Nunes