NOSSA MEMÓRIA - Correio da Lavoura

Últimas notícias

30 de jul de 2019

NOSSA MEMÓRIA

O velho prédio da Prefeitura

(Criminosamente posto abaixo no 
governo-tampão de Antônio Joaquim Machado)

A entrega ao tráfego da Estrada de Ferro D. Pedro II (depois Estrada de Ferro Central do Brasil), em 1858, deu início ao povoamento de Maxambomba. Em 1891 aconteceu a transferência da sede do Município (de Iguassú). Somente em 1897 o Município receberia o prédio da Cadeia, Fórum e Quartel da Força Pública, mas o Paço Municipal só seria inaugurado na presidência (da Câmara) de Bernardino Mello. A iniciativa para a construção da sede própria teve início com Bernardino, em 1907. O sucessor deste, Otávio Áscoli, no dia 7 de janeiro de 1908, assinou, com a firma Bordenara & Rossi, contrato para a construção do prédio, situado na Av. Marechal Floriano Peixoto. Bernardino Mello o inaugurou, culminando sua iniciativa do ano anterior.

Até 1919 ali funcionou a Câmara, data a partir da qual passou a dividir suas instalações com a Prefeitura, criada em 26 de novembro de 1919. Em 1930, com a Câmara fechada como decorrência da Revolução de 30, o prédio abrigou somente o Poder Executivo. Em 1947, após a redemocratização, a Prefeitura “expulsou” a Câmara de Vereadores, que passaria a funcionar na mesma Av. Marechal Floriano, número 2011 (sobrado). 

Obs.: De 1833 até 1919 o Município foi governado pelo Intendente Geral (presidente da Câmara). O velho prédio da Prefeitura foi criminosamente posto abaixo no governo-tampão de Antônio Joaquim Machado, em 1968. Segundo o saudoso historiador Waldick Pereira, o prefeito que tinha “machado” no nome, “confundiu tombamento com derrubamento”. (Foto de Ney Alberto, de 1960)