PROJETO "PARQUE PARA TODOS" LEVA CRIANÇAS DE CAPSI AO PARQUE NATURAL EM NOVA IGUAÇU - Correio da Lavoura

Últimas notícias

22 de jan. de 2020

PROJETO "PARQUE PARA TODOS" LEVA CRIANÇAS DE CAPSI AO PARQUE NATURAL EM NOVA IGUAÇU


Entrar em uma água pura e cristalina, pisar no chão de terra e na grama, andar em meio às plantas e árvores ouvindo o canto dos pássaros. Assim foi o dia mais de dez crianças que fazem tratamento no Centro de Atenção Psicossocial Infanto Juvenil Dom Adriano Hipólito, em Nova Iguaçu. Eles visitaram, nesta quarta-feira (22), o Parque Natural Municipal, conhecido como Parque do Vulcão, durante a terceira edição do projeto “Parque Para Todos”, da Prefeitura de Nova Iguaçu. Acompanhados pelos pais e por agentes da Guarda Ambiental Municipal (GAM), as crianças conheceram o espaço da pedreira e tomaram banho no Poço da Sede. Na próxima sexta-feira (24), será a vez de crianças do abrigo Miguel Couto visitarem o local.

“É nosso primeiro evento extramuros da unidade, que está favorecendo a saúde da criança. Nosso público-alvo são crianças com transtornos mentais, de diversos graus, para fazer um trabalho de inclusão social com elas”, afirmou o enfermeira do CAPSI, Cremilda Conceição. “Esse contato com a natureza é fundamental para eles, pois um tratamento não pode ser apenas através de um medicamento. Temos crianças autistas, com quadro de depressão, esquizofrenia ou psicose, mas quando elas conhecem um local como este, elas esquecem um pouco de seus problemas”.


O “Parque Para Todos” foi desenvolvido pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Agricultura, Desenvolvimento Econômico e Turismo (SEMADETUR) em parceria com as secretarias de Educação (SEMED) e de Esporte e Lazer (SEMEL), além da Escola de Governo. Durante o passeio, os alunos puderam fazer atividades físicas, passear pelas trilhas do parque, visitar poços d’água e conhecer espécies nativas da região.

“Nas edições anteriores trouxemos crianças surdas e cegas, e todas ficaram encantados com o espaço. O Parque Para Todos faz deste ambiente um espaço educador e de inclusão social”, lembrou a coordenadora de educação ambiental da SEMADETUR, Marcela Diniz.


Segundo o secretário da SEMADETUR, Fernando Cid, as crianças e seus pais que visitam o parque aprendem a importância da preservação do local:

“Nosso principal desafio é preservar e cuidar deste parque. Para isso, precisamos trazer a comunidade para conscientizá-las sobre a importância do meio ambiente. O parque é para todas mundo, sem distinção. Existem estudos comprovando a importância do tratamento dos transtornos mentais realizados em áreas verdes. Queremos ajudar nas terapias e nas curas de doenças”.

Moradora de Jardim Tropical, a cuidadora de idosos Elizangela Dias dos Anjos, de 41 anos, levou a filha Lizandra, de 9 anos, para conhecer pela primeira vez o Parque Natural. A menina, que começou a fazer terapia no CAPSI nesta semana, emocionou-se ao se deparar com os guardas ambientais de Nova Iguaçu.

“Minha filha toma calmantes, pois tem crise de ansiedade e é hiperativa. Por muitas vezes fica agressiva e também chora. Hoje ela estava muito diferente, muito feliz e numa paz que me comoveu. Esse ar puro da natureza fez muito bem a ela. A Lizandra é apaixonada por esses ambientes e gosta deste contato, tanto que quer seguir a carreira militar, tornando-se uma guarda ambiental ou bombeira, por isso ela se emocionou ao ver os guardas ambientais”, contou Elizangela.

Mãe da pequena Emanuele Cravo Correia, de 3 anos, que tem Transtorno do Espetro Autista (TEA), a dona de casa Carla Custódio, de 35, revelou que o primeiro contato da filha com a água do Parque Natural por pouco não a levou às lágrimas.


“É gratificante ver minha filha feliz em contato com a natureza. É a primeira vez que vem numa área verde como esta, com cachoeira. Esse lugar é lindo. Minha filha não quer ir embora. A felicidade dela está estampada. Isso vai ajudar bastante em seu tratamento e comportamento. Quero vir outras vezes aqui”, destacou ela.

Já na Área de Proteção Ambiental Guandu Açu (APA GUANDU AÇU), mais conhecido como Pantanal Iguaçuano, outras crianças participaram de diversas oficinas em contato com o meio ambiente durante colônia de férias. A atividade, que desperta nelas a percepção do território que vivem, começou na segunda e terminou nesta quarta-feira (22). O evento é realizado no Km 39, na Lagoinha, pela Prefeitura de Nova Iguaçu e tem a participação da Associação de Moradores e da Cedae.

Trinta e uma crianças por dia fizeram atividades voltadas para a educação ambiental e consciência de sustentabilidade, além de aprenderem a preservar o meio ambiente. O evento ainda recebeu o coletivo Baixada Literária e o artista Nélio Fernando, além de contação de histórias e atividades de artes plásticas.

“É um território importante para a cidade e todo o Rio. É lá que está a estação de tratamento de água do Guandu e muitos não conhecem o local. Esta é uma região onde estamos buscando implementar a vocação turística e conscientizar a população local para o desafio da preservação ambiental”, ressaltou Fernando Cid.