UM FAROL PARA A IMPRENSA NACIONAL - Correio da Lavoura

Últimas notícias

28 de mar de 2019

UM FAROL PARA A IMPRENSA NACIONAL

POR THIAGO RACHID

A imprensa no Brasil e no mundo vive uma grande crise com o advento da rede mundial de computadores e de suas ferramentas, como as redes sociais. No Brasil, particularmente, a crise é profunda e deprimente. Os grandes órgãos de imprensa não gozam mais de credibilidade junto à população. O trabalho de muitos dos jornalistas se orienta por questões alheias ao compromisso jornalístico com a verdade. Seus patrões, por sua vez, sacrificam o compromisso de contar a verdade dos fatos para o seu público para atender os interesses daqueles que o financiam.
Aqui em Nova Iguaçu, porém, sem dinheiro, sem edições diárias, sem grandes tiragens, mas com absoluto compromisso com a verdade e com as liberdades democráticas, o Correio da Lavoura caminha há cento e dois anos dando espaço para todos aqueles que tenham o que dizer na Cidade de Nova Iguaçu. Sem censura, de cara limpa e peito aberto, o semanário da família Azeredo, que hoje é de toda Nova Iguaçu, nunca se curvou a outros ídolos que não fossem a liberdade de expressão e a descrição dos fatos como eles ocorreram.
Humildemente, com um público fiel, com alguns anunciantes que não deixam a peteca cair – e que não se metem no seu conteúdo – o Correio da Lavoura segue dando lições aos grandes órgãos de comunicação cheios de assinantes e anunciantes, com o poder de gerar e estancar crises e que por décadas nadaram em dinheiro público: é possível fazer jornalismo honesto, é necessário dar voz a todas as opiniões, é fundamental que a verdade esteja acima do dinheiro.
É impossível chegar aos cento e dois anos sem amor ao bom jornalismo. Nenhum órgão de imprensa sobrevive a dezenas de crises econômicas, políticas, financeiras e sociais se não gozar de credibilidade e fidelidade aos fatos e às liberdades. Os grandes jornalões precisam estudar o Correio da Lavoura, precisam conhecer Robinson Belém de Azeredo, precisam aprender com a mais antiga das instituições privadas de Nova Iguaçu ainda em operação.
Aos iguaçuanos o meu recado é: leiam, anunciem e orgulhem-se de serem conterrâneos desta glória do Brasil.